A preparação (final)

Publicado em: 21/11/ 12

 

PREPARAÇÃO 4 – OS DETALHES

 

Nunca deixe o varejo para a última hora, ele pode consumir um tempo tremendo e gerar muito desgaste dias ou horas antes da partida. Se isto acontecer, dou uma dica antes de bater o desespero. Faça um novo “check list”, de emergência, apenas com o que é essencial para a sua viagem. Exclua o que pode ser resolvido no retorno ou mesmo durante o trajeto e esqueça. Organize o check list com o tempo que vai dedicar para cada atividade emergencial. Ex: Das 15h às 18h arrumar a mochila, das 18h às 19h organizar documentos etc. Isso ajuda a aliviar a tensão e garantir que o essencial será feito.

Não estou carregando celular, como forma de comunicação, nesta expedição. Primeiro porque é caro, muito caro, falar pelo aparelho de um país para outro, pagando a conta no Brasil. Depois porque como estarei conectado, posso me comunicar por Skype ou outras ferramentas gratuitas. E, por final, porque não gostaria de estar em um ponto afastado do planeta e receber uma ligação telefônica. Sem graça, não é?

Sem dúvida uma grande expedição é feita de um sem número de detalhes e a preparação de tudo requer dedicação e cautela. Recomendo trabalhar uma relação inicial de tudo o que precisa ser feito, organizada por áreas: documentação e vistos; roteiro, pesquisa, guias e mapas; equipamentos; tecnologia e comunicação; saúde; orçamento e dinheiro; apoios e parcerias; assuntos domésticos.

Fiz o meu primeiro “check list” no final de junho e, ao longo de toda a preparação, recorri a ele frequentemente para encaixar as tarefas profissionais com as ações que poderiam ser realizadas antecipadamente. Mesmo assim muito ficou para a semana final e foi extremamente angustiante. Alguma coisa tive que deixar para trás

A documentação é um dos primeiros passos: passaporte, vistos e demais documentos. Optei por expedir a carteira internacional do albergue da juventude, considerando que farei uma viagem econômica. A permissão internacional para dirigir é recomendável, mas não obrigatória. Nas Américas, você pode alugar um carro com a carteira de motorista brasileira, se for o caso.

Acho que todo viajante, seja turístico ou aventureiro, deveria ter sempre três documentos atualizados: o passaporte, o visto americano e a vacina contra febre amarela. Já comentei em posts anteriores sobre saúde, roteiro e alguns outros temas da preparação.

Os equipamentos dependem muito do teu tipo de viagem. No meu caso fiz a opção natural de viajar o mais leve possível, transportando materiais básicos como saco de dormir, guias, medicamentos e roupas adequadas a qualquer clima e locar os itens específicos antes de cada atividade.

Hoje deixo aqui uma dica básica, que para mim parecia óbvia, mas que descobri que não é – a compra de moeda estrangeira. Muitos viajantes acham que essa transação é sempre igual, ou fixa. O conselho é negociar a cotação, sempre. Aqueles poucos centavos que você barganha na casa de câmbio pode significar muito dinheiro ao fechar a conta. Na minha primeira operação para esta expedição, o dólar era oferecido a R$ 2,21. Comprei por R$ 2,14 e obtive uma economia bem significativa.

 



Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *