Dicas

A Preparação

em 19 novembro, 2012

PREPARAÇÃO 1 – ORGANIZAR A CASA

Aqui está um tema que consome todo e qualquer viajante, indistintamente. Da viagem mais planejada à aventura estilo “easy rider”, todas têm uma preparação, por menor que seja.

Quando falo de preparação não me refiro apenas a um planejamento da viagem, mas tudo o que envolve uma saída para passar algum tempo fora de casa. Muitas vezes o que mais consome tempo e energia não é o roteiro em si, mas tudo o que é preciso fazer para que a expedição aconteça.

Cada ação envolve muitos detalhes.

O que meu deu imenso trabalho foi deixar a vida organizada para poder sair de minha rotina por sete meses. Aos 46 anos, espírito jovem, mas já mais distante cronologicamente da época da juventude, precisei me dedicar muito para que questões profissionais, financeiras e familiares pudessem receber um embalo para manter curso e ritmo adequados, durante minha ausência.

Negócios de família, apoio aos pais, afastamento do trabalho, organização das contas e até a preparação antecipada da declaração do Imposto de Renda, são questões que têm que ser resolvidas ou muito bem encaminhadas para quem pretende ficar na estrada por um longo tempo.

Imagine aspectos de sua vida diária que devem ser pensados e organizados para durar um longo tempo. Tudo deve ser levado em conta, desde questões simples, como a renovação do seguro do carro ou o pagamento da taxa de condomínio. Do contrário sua vida estará um caos na volta.

PREPARAÇÃO 2 – A SAÚDE

Outro ponto que demanda atenção e um bom período de preparação é a saúde. Descobri o dr Jaime Rocha pela internet, médico especializado em uma área relativamente recente da ciência, a Medicina do Viajante. A partir daí foram boas conversas e inúmeros exames clínicos, testes e uma bateria de vacinas, visto que a expedição percorrerá áreas de selva, matas e montanhas, grande parte do tempo distante das principais concentrações urbanas.

O ideal, no meu entendimento, é fazer a vacinação gradativamente, sem pressa, recebendo uma dose por semana ou quinzena. Isso pode evitar possíveis reações adversas, o que já enfrentei, aos vinte e poucos anos, antes de uma viagem cancelada para a Índia. Na ocasião, a hepatite mudou meu trajeto e o curso de minha história.

Orientações com equipamentos, medicações e cuidados com a água e consumo de alimentos também são importantes para preservar a saúde em regiões inóspitas. Recomendo ainda uma visita ao dentista, ao seu médico de confiança e a checagem de algum problema específico de saúde que já tenha percebido e com o qual possa se debater, em terra estrangeira.

Paralelo a esses cuidados, é fundamental manter (ou buscar) boa forma física, afinal, no meu caso, a rotina será de caminhada, esportes e de longínquos deslocamentos em condições precárias de transporte (veremos isso mais adiante). Neste aspecto apenas mantive meu cotidiano de treino: academia com Pencai, meu personal, e lutas com o mestre de Taekwondo, Jiu Jitsu e Muay Thay, Marcelo Barreto, meu treinador. Entre três e quatro treinos por semana, sempre conciliando com muito trabalho e constantes viagens profissionais.

Mais adiante vou tratar da escolha do roteiro e de uma série de detalhes que parecem muito simples, quando já estão solucionados.

Tags:, ,

1 Comentário link permanente

Um Post

Post a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *