Aventura na Cordilheira Branca

Publicado em: 09/12/ 12

Laguna 69 1
Laguna 69 2
Laguna 69 3
Laguna 69 4
Laguna 69 5
Laguna 69 6
Laguna 69 7
Laguna 69 8
Laguna 69 9
Laguna 69 10
Laguna 69 11

Sou um andarilho, diria meu amigo Edson Walker, viajante de longa data. Caminhei por sete horas, 17 quilômetros, circundando montanhas, atravessando matas, cruzando rios e subindo picos até a extraordinária lagoa 69, paraíso de águas verdes em meio à Cordilheira Branca, no Parque Nacional de Huascarán.

A jornada começou cedo, logo às 6h da manhã, com o corpo cravado no banco da van, os joelhos travados no assento da frente, de onde assistia ao constante vai e vem da porta para a entrada e saída de passageiros. As “chicken vans” se assemelham aos “chicken buses”, veículos que transportam de tudo: pacotes, malas, pneus, produção agrícola e até gente, sempre muita gente.

Logo no desembarque havia uma sendo carregada com três sacos cheios de porquinhos da índia, vivos. Sim, aqui no Peru esses bichos são criados para abate. Os motoristas literalmente correm atrás do dinheiro, fazem viagens arriscadas, acelerando sempre e ultrapassando na mais estreita oportunidade.

Dois coletivos depois, duas horas e meia e 85 quilômetros mais tarde, desço em Cebollapampa, para o início da caminhada, que imaginava suave.

A lenta subida foi se acentuando enquanto admirava cascatas e plantas nativas, passou ao nível médio até se transformar em puro aclive de montanha. O ar gelado limpava os pulmões da habitual poluição dos centros urbanos peruanos e esfriava rapidamente o suor.

Fui só, para refletir e contemplar a natureza. A presença dos picos nevados em contraste com a queda de água límpida me levou à emoção e me trouxe as lágrimas. Sim, é possível chorar de alegria, não apenas pelo afeto ou vitória conquistada, mas pelo simples fato de estar ali, imerso entre montanhas e vales, ao pisar pedras e mato.

Ao lado da lagoa, no alto da Cordilheira, não chove, neva. Deixei que os demais viajantes saíssem para ficar só, na companhia da natureza. Assim converso com Deus.

No retorno solitário, minha absoluta falta de direção me joga para fora da trilha principal. Estava perdido na mata, de um parque que se estende por 160 quilômetros e tem outros 20 quilômetros de largura. Por descuido atravessei dois pequenos riachos fora do caminho e tudo que encontrei foram trechos de mato amassado pelo gado. O vale serve para pastoreio.

A questão era colocar foco e manter sempre a tranquilidade, como se ensina para os que se estão a ponto de afogar-se. Perto das 16h precisava achar o caminho antes que escurecesse, o que admito, não foi assim tão difícil.

Na dúvida entre subir para onde eu avistava o que poderia ser um sendeiro, já com pouco fôlego, ou descer, para perto do rio, fiquei com a segunda opção. Cortei caminho escalando um barranco e encontrei novamente a trilha, com as botas e calça molhadas pela umidade da vegetação.

Meu último esforço: juntar-me ao rio, molhar o rosto e provar da água pura do vale. Consegui carona para chegar ao povoado de Yungay e de lá pegar a van para Huaráz. Estava há 48 horas à base de lanche, sem uma refeição completa.


21 Comentários

  1. Sigmar Sabin disse:

    Caramba Ike, Que aventura legal…

    muito bom ser provido desse espírito de descobridor de caminhos…

    Vai lá… Espero a próxima!

    Grande abraço.

  2. Sigmar Sabin disse:

    Me fez recordar uma desastrada ida para o pico do Caratuva, pegando a trilha rumo ao pico do Paraná, escureceu e fui obrigado montar acampamento e passar a noite no meio do nada, para descobrir noutro dia, aonde estava. São essas aventuras que dão um gostinho especial à vida.
    Abraço,

  3. Carol Bosi Beatriz disse:

    Ike, estou acompanhando seu blog e curtindo bastante. Aproveite bastante essa experiência única…
    abraços

  4. Caramba… momento de tensão!!!

    • ikeweber disse:

      Então, estava te devendo essa, ia te avisar por email. Há muitas fotos mais da Cordilheira Branca, mas não consigo postar tudo. Nesse post dá para ter uma ideia. Abço.

  5. Robson Paduan disse:

    Que lugar em chefe…pqp… falando em lugares, se cruzar algum lugar espetacular que role um BASE JUMP ou skydive, manda coordenadas… boa caminhada.. segue na fé.. abs

  6. Adriana Saha disse:

    Impressionada com a paisagem. Me deu saudade da minha época de mochileira

  7. Jaime Baldeon disse:

    Saludos Ike!!!! que bueno que sigas con la aventura en Peru, veo que ya estas por Tumbes, pero seguro que disfrutaste esta ruta en la Cordillera Blanca en Huaraz, yo la hize para subir al nevado Pisco, cerca de ahi, es muy hermozo. Seguire tu blog, de verdad hay muchas cosas que yo como peruano no conozco, pero por intermedio tuyo lo estoy haciendo, sigue adelantey Suerte!!!

    • ikeweber disse:

      Gracias, Jaime. Usted fue un gran compañero en Colca y sigue siendo por este sítio. Recén acabo de postar sobre la travesia de la frontera, hacia Equador. Momentos difíciles pero interesantes. Sigas comigo. Saludos y ótima Navidad. Ike.

  8. Ricardo Takiguti disse:

    E ai meu amigo! To acompanhando seus relatos. Muito bom. Excelente material !
    Feliz Ano Novo. Onde estiver!
    Abs

  9. alex ricardo disse:

    Aqui é o alex do colegio sesi guarapuava,estou na oficina mochila pelas americas e estamos torcendo por você,muita paz e luz pra você Ike

  10. Amanda Barboza disse:

    que nuestro paisaje más hermoso!
    debe ser muy emocionante ver el mundo de esa manera.
    😀

  11. Vívian Floriano disse:

    Hola Ike, yo soy alumna del colegio SESI de Bandeirantes, estoy amando te seguir en esta viaje, mismo que sólo por el blog, pero ya da pra sentir la emocion de conocer nuevos lugares. Y que lugar esta Cordilheira Branca , muy bella! Buena suerte, y nosotros estamos a espera de nuevos posts

  12. Vívian Floriano disse:

    Corrección: Hola, Ike yo soy alumna del colegio SESI de Bandeirantes, estoy amando seguir-te en este viaje, mismo que sólo por el blog, pero ya da para sentir la emoción de conocer nuevos lugares. Y qué lugar esta Cordillera Blanca, muy bella! Buena suerte, y nosotros estamos a espera de nuevos posts!


Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *