Cemitério da Civilização Nazca

Publicado em: 30/11/ 12

Cemitério 1
Cemitério 2
Cemitério 3
Cemitério 4
Cemitério 5
Cemitério 6
Cemitério 7
Cemitério 8

Mais interessante do que as famosas linhas de Nazca é o cemitério de Chauchilla. A civilização Nazca, que imperou no sul do Peru do ano 300 a.C a 800 d.C., foi pioneira no continente americano em técnicas de mumificação. E as múmias estão ali, em doze túmulos abertos, expostos ao tempo.

É claro que é muito mais incrível vê-las ali, no local onde foram enterradas, mas com a ação do tempo, do sol, da areia e dos ventos, tudo pode se perder, se as relíquias não forem transportadas para um museu. As coberturas de palha são recentes e insuficientes.

Houve um projeto para isso, há alguns anos, frustrado pelo desvio de recursos, informa Raul, guia local. “Tudo no Peru é corrupção”, lamenta.

A Cultura pré-incaica Nazca realmente impressiona: foram engenheiros, matemáticos, artesãos, médicos e arquitetos. As múmias eram enterradas em posição fetal e a crença na vida após a morte, comum às civilizações antigas, fazia com que fossem enterradas com tesouros e comida. Lembra disso? Todos estudamos na escola.

O lugar é uma descoberta recente, de poucas décadas, mas os saqueadores também encontraram o cemitério, retiraram peças e venderam para colecionadores, na Europa e nos Estados Unidos. Pelo menos a metade das 300 tumbas foi violada.

Os enterros eram acompanhados de cerimônias e ritos xamânicos e os corpos abrigados em posição fetal. Os sacerdotes, dotados de poderes, capacidades e condições especiais tinham longas cabeleiras, como ainda se vê nas múmias e nas fotos aqui publicadas. Comprimento de até dois metros!

Algumas múmias são de crianças, órfãs pela tuberculose que vitimava muitas das mães. Sozinhas no mundo, sem defesa, eram mutiladas e mortas em combates. Uma das fotos mostra uma pele. É a múmia de um porquinho da índia, enterrado junto com um integrante da antiga civilização.

 


10 Comentários

  1. Pencai disse:

    Show. Acompanhando essa trip , da para conhecer um pouco mais desse mundão.

  2. solange patricio disse:

    Incrível, Ike. Estou redescobrindo as Américas.

  3. Sigmar Sabin disse:

    Bom Dia… Bom Domingo…
    Além de curtir as postagens, e fotos, eu estou usando sua viagem para aprender um pouco mais de Geografia e História da América. Fantásticos aprendizados. Graças aos aventureiros conectados é possível viajar sem triar o pé de dentro de casa. Claro que isso nem de longe se comparara à emoção que você deve estar vivendo aí no dia a dia. Continue nessa bela jornada.
    Abraços,

    • ikeweber disse:

      Que bom, é essa a ideia. Faço um esforço porque preparar o material dá trabalho: selecionar fotos, reduzir peso das imagens, redigir texto, postar… e nem sempre a internet colabora em lugares assim.
      Quando há leitores como você, acompanhando e aproveitando, isso me gratifica.
      Amanhã farei um super post sobre Paracas, na costa.
      Continue comigo nesta viagem. Grande abço.

      Ike.

  4. Rogério disse:

    Muito legal!

  5. Dâmaris Rodrigues disse:

    Olá, conheci esse cemitério, fora Machu Picchu, esse foi o lugar que mais gostei…. só entendi alguns detalhes agora, nessa leitura, como as crianças e os cabelos compridos… quando fui achei a falta de preservação muito grande… eles só são uma pouco protegidos por essas palhas precariamente construídas, fora que são facilmente roubadas, lembro que até falei isso ao vigia de Chauchilla.. é muito triste isso… mas por outro lado, é muito mais interesante poder vê-los ali mesmo, no lugar de origem.. só não entendo da onde eles vieram? Não tinha cidade igual a Cusco? Eram nômades?

    • ikeweber disse:

      Dâmaris,

      Até onde se sabe, a Civilização Nazca surgiu e se manteve na região sul do Peru, entre 300 a C e 800 d C.

      Não tinham uma grande cidade como os povos Incas e foram anteriores a eles.

      O cemitério é realmente interessante, no local onde está, mais corre sérios riscos de conservação.

      Abço e desculpe a demora em te responder. Ike.

  6. giovani nogueira novacoski disse:

    e ai ike..! aki é o giovani nogueira do colegio sesi guarapuava! gostei muito do cemitério! e achei a mais interessante!


Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *