O momento mais difícil da viagem

Publicado em: 01/02/ 13

Sozinho, num hotel imundo. O corpo todo coça em comichões. A cortina que faz às vezes de box é negra de sujeira. A espuma do colchão está mordida e rasgada, dentro do velho estrado de madeira da cama. Coço o corpo com a espuma do sabonete antibacteriano.

A vontade que dá é de rasgar a pele. Ou melhor, de sair do corpo. De pé, no box de cortina imunda, espero e torço pelo efeito milagroso do sabão. O quarto do hotel não tem janela, é abafado e retém o ar pesado.

A cidade de Santa Marta, na costa caribenha, é quente e a praia principal é suja. Melhor do que as ruas, imundas e calorentas. Um líquido sempre escorre pelas vielas, assim como deslizam pela minha memória as lembranças de Salvador. Suja.

Navios imensos aportados, de um lado. Na outra ponta estão estacionados inúmeros vendedores de quinquilharias e artesãos locais. A pele coça enquanto caminho pelos becos antigos. Sonâmbulo, em nada conseguindo me concentrar.

Essa etapa da viagem é pura sobrevivência: conseguir comer, dormir ou refugiar-me. Aguentar o comichão pelo corpo, assistindo as pelotas vermelhas tomando conta da pele. Agonia. Desespero. Recém-saído da clínica para checar se o cóccix não ficara comprometido com a pancada após a queda da rede de dormir, em um dos acampamentos de Teyuna (ler post anterior: caminhada à Cidade Perdida).

Momento mais difícil da viagem. O Caribe não é só um paraíso, agora vivo na entrada do inferno. Melhor ter tomado banho com sabonete e shampoo nesses últimos seis dias de mato, penso, equivocadamente.

Acordo na madrugada para tomar banho de álcool. Funciona. Consigo algumas horas a mais de sono. O quarto, sem janela, parece não querer me libertar. Preciso fugir de Santa Marta.

Em pé, junto à cortina imunda do box, espero o efeito do sabão milagroso enquanto penso na loção poderosa que vai me fazer sentir novamente livre. Vontade de rasgar a pele. Ânsia por fugir do corpo.

A mais difícil organização da mochila até agora. Vontade que dá é de queimar todas as roupas. Tudo sujo, visto a bermuda jeans, também imunda. Por ridículos COP 5 mil (R$ 6,25) prefiro pegar um táxi até o terminal de transportes. Não posso suar.

O micro-ônibus que segue a Cartagena passa antes por Barranquilla, cidade colombiana do Carnaval. Na lombada, homens que querem ser mulheres pedem dinheiro aos motoristas.

As favelas, ao redor, lembram a sarna. O corpo coça, não há tranquilidade. Jogo álcool nas pelotas, escondido dos demais passageiros. A longa experiência como viajante de aventura já me assoprava que não seria fácil. Não é o mesmo que fazer turismo em um resort no nordeste.

Não podendo fugir do corpo, deixo a cidade. Desapareço do banheiro com cortina suja. Longe do quarto sem janela, encontro o médico.

Aliviado, o diagnóstico. Não seriam ácaros, como apostava o vendedor da farmácia. Longe de serem picadas de insetos, como indicava o casal de mexicanos que caminhou comigo pela selva colombiana.

Salvo, não era a maldita sarna. Varicela, constata dr. Camilo, o médico. Doença infantil, que também ataca os adultos. Medicado, agora é descansar e recuperar. Mais difícil é o tratamento em trânsito, de mochila, igual a cachorro sarnento, chutado de um lado a outro, sem lugar fixo para ficar. Vou sair desta, vou superar.


51 Comentários

  1. André Amorim disse:

    Grande Ike Weber, que provação forte essa.
    Toda grande viagem tem que passar pelo inferno para ser completa. Se este foi até agora o pior momento da viagem, então agora você começa uma curva ascendente, em que nada poderá piorar.
    Sorte, bicho!
    abraço.

  2. Ricardo Sabbag disse:

    Ike, boa sorte na recuperação. Eu, que não tenho 1% do teu espírito aventureiro, também tive varicela depois de adulto. Foi horrível. Mas ao menos estava em casa cercado de cuidados. O que consola é que logo o surto passa. Suporte a febre e a coceira. E – nunca é demais aconselhar – evite de todas as formas coçar o rosto. Eu usei talco mentolado, aliviava bastante. Depois, fica uma ou outra marca que você pode fingir que é uma cicatriz de guerra. E o melhor: imunidade para nunca mais pegar essa doença. Abraços.

  3. Guulherme Weber disse:

    O desenho da Ju deu uma quebrada na preocupação! A força do relato mostra o que os grandes mestres já provaram, a dor forja o talento da pena!

  4. Kelen Juliana Ferreira disse:

    Olá a caminhada tá difícil, não desanime, tem uma Rede de Colégio SESI todinha torcendo e confiando em você. Estamos mesmo não presentes, mas juntos caminhando com vc. ( Kelen Juliana Ferreira, coordenadora do Colégio SESI de Bandeirantes) Abraços 🙂

    • ikeweber disse:

      Puxa, muito obrigado pelo apoio, Kelen. Não desanimo não, não faz parte do meu estilo. Enfrento as dificuldades e vou em frente. Já esperava momentos difíceis, é normal em grandes viagens. Mas tudo vale muito à pena. Obrigado e abraço a todos do Colégio Sesi.

  5. Carol Bosi disse:

    Nossa Ike, que sufoco… Mas logo logo você estará recuperado. Eu sei que é difícil, mas evite coçar (tive varicela um pouco mais velha e sei o quanto é ruim), para não ficar marcas. Melhoras!!! Abraços

  6. Silmara Pawluzyk disse:

    Que mala suerte Ike… Melhoras aí prá botar o pé na estrada de novo, que eu tô viajando junto !!

  7. fhabyo disse:

    Força Ike, faz parte do show e vc vai tirar numa coçada. Belíssimo texto e relato preciso. gde abs e boa viagem porque a estrada te chama!

  8. Ricardo Takiguti disse:

    Vai firme meu amigo. To gostando dos relatos e das fotos! Se cuide. Abs

  9. marciana disse:

    a 1º vez que subi o MARUMBI estava de calça jeans , subir foi beleza e a vista então , mas descer com as pernas toda assada é que foi , lendo a sua história lembrei do meu sufoco que valeu a pena ,pois na ocasião estava CO WALDEMAR N , E NATIVO , que nunca mais encontrei eles .

  10. Oi Ike ! (:
    Eu sou aluna do SESI de Campo Mourão – PR,estamos fazendo nossa oficina sobre a sua viagem,está sendo muito interessante.Boa Viagem ! Abraços ♥

  11. Lucas Pereira disse:

    Olá Ike, sou do colégio SESI de Campo Mourão e gostei muito do seu blog e leio com frequência seus posts, esse aí me chamou muita atenção, pois é algo q

    • ikeweber disse:

      Bem vindo, Lucas. Foi um momento marcante, bem difícil. Abço.

      • Lucas Pereira disse:

        Me desculpe Ike, ocorreu um pequeno imprevisto que impossibilitou o término de minha frase. Como eu ia dizendo, tentamos fazer o máximo para que em nossa viagem ocorram apenas situações agradáveis, porém nem sempre conseguimos esse feito, pois não importa o quanto você tente, as coisas ruins sempre irão surgir, no entanto depois da parte ruim vem a parte boa com frequência…
        Boa viagem! Até mais!

  12. Paulo Sérgio da Silva Junior disse:

    oi,sou do colégio SESI de Campo Mourão – PR, gostei muito do seu website, boa sorte na viagem! olha o lado bom de ter pegado varicela, você não vai pegar nunca mais.

  13. Júlia Jacomini disse:

    Fico impressionada lendo seus posts, tantos acontecimentos, tantos lugares lindos a conhecer, e mesmo com tudo isso, surgem as tribulações, os problemas e as dificuldades, mas a sua perseverança e sua força de vontade é impressionante, de uma grandeza muito bela, eu mesma, não tenho 10% da coragem que tens. A pouco tempo acompanho o blog, mas já o admiro! Parabéns pela viagem, e que este pequeno empecilho não o atrapalhe. Coragem, estamos contigo!

    • ikeweber disse:

      Muito obrigado pelo apoio e incentivo, Júlia. Vamos seguir em frente. Grande abraço.

      • Júlia Jacomini disse:

        Olá Ike, fiz um comentário acima já há algum tempo, porém, esqueci de mencionar que sou aluna do Colégio SESI de Campo Mourão, onde estamos acompanhando de perto todos os seus passos durante a viagem através do website. Estamos muitos empolgados com seus posts, uma aventura atrás da outra, um lugar mais belo que o outro, creio que deve ser maravilhoso estar vivendo e vivenciando o dia a dia de cada lugar, cada cultura e povos diferentes. Seguirei acompanhando tudo sobre sua viagem com muito entusiasmo, espero que não surja mais tribulações. Boa Sorte no resto de sua caminha. Abraço!

  14. Bruna Pedroso disse:

    Olá Ike, sou aluna do colégio SESI de Campo Mourão e estou muito empolgada com suas postagens, realmente tem sido muito interessante velas e também aqui podemos perceber a diversidade de cultura presente no nosso continente, espero que a sua viagem prossiga bem, abraços!

  15. Muito legal esta viajem,estos lugares son en muchos aprendizajes!

  16. Hola Ike soy un estudiante de Bandeirantes SESI-PR, estamos haciendo un taller en su blog.

  17. Leonardo C. Ismael disse:

    Hola Ike mi nombre es Leonardo,estudió en el Colégio Sesi Bandeirantes-Pr,felicidades por tu valentía llevar a cabo estas aventuras

  18. Leonardo C. Ismael disse:

    Hola Ike,el Colégio Sesi esperamos mucho para usted en su viajes y sin duda estamos aprendiendo mucho de ella

  19. Ana Cristina Cathcart disse:

    Olá Ike, sou aluna do Colégio Sesi de Paranavaí e estou gostando de conhecer um pouco mais das Américas e das experiências que você tem passado e compartilhado conosco aqui em seu blog. Essa por exemplo não foi nada fácil mas vc foi perseverante e garanto que valeu á pena apesar de tudo, pois vc conheceu muitos lugares e também varias culturas. Abraços!!

  20. Leonardo Ismael disse:

    Hola Ike en el Colegio Sesi’re enraimiento para usted tambien

  21. Leonardo Ismael disse:

    Hola Ike,muy buena tu aventura felicitaciones por su vallentia

  22. Flávia Muraro disse:

    Hola Ike, Tengo Una admiración tanto por ti, Porque aun con esta enfermedad que seguio adelante, seguir recto.

  23. Leda Larissa disse:

    Hola Ike
    muy bueno encantó leer tu blog tus experiencias nuevas de América continúa con este entusiasmo y seguir con ese amor que usted tiene para el mundo .. hugs’ll estar leyendo sus mensajes (:

  24. Leda Larissa disse:

    Hola como esta ?
    es bueno saber que hay gente en este mundo que se preocupa de conocer lugares que es muy difícil para una persona que visita como un punto cada lugar hermoso que pasaste amaban a sus experiencias con los Estados Unidos siguen siendo tan … abrazos

  25. Jonathan da Silva disse:

    Ike Weber bueno que este viaje es conocer nuestra América todo.
    Gracias por no desanimarse en los malos tiempos a pesar de haber pasado por muchas dificultades con la enfermedad (varicela) que ha adquirido durante el viaje, soy un estudiante de la universidad de SESI muy feliz para estudiar esto en un taller que se llama De Mochila Para Américas se basa en su blog y en sus aventuras … Gracias.

  26. Fernando Campos disse:

    holla Ike mi nombre es Fernando, y estudio en lo colegio SESI-PR
    Estoy estudiando en la taller de maleta por las Americas.
    Me gusta mucho estudiar con su participación.
    y le te deseo my buena suerte!!!!! A MAL TIEMPO, BUENA CARA.

  27. Natasha Campos disse:

    holla Ike mi nombre es Natasha, y estudio en lo colegio SESI-PR
    Me gusta mucho estudiar con su participación.
    y le te deseo my buena suerte!!!!!

  28. Dieyzon disse:

    fala ike sou o Dieyzon do colegio sesi de guarapuava estou estudando seu blog e um dis tbm gostaria de viajar o mundo conhecendo varias paises e culturas diferentas boa sorte em sua viagem um abrasso

  29. jordana bennemann disse:

    Olá Ike,sou aluna do sesi-londrina pr
    lendo esta postagem agora já sei um dos lugares por onde não pretendo passar em meu “mochilão”(um dia) hehehehe mas estou curtindo muito suas viagens,só me dixam com mais vontadeainda de sair por este mundão afora 😀

  30. jordana bennemann disse:

    deixam* e mais vontade ainda* hehehehehehe 😀

  31. Gabriel Herrmann disse:

    Olá, sou o Gabriel Herrmann do Colégio Sesi – Marechal Cândido Rondon – PR. Eu faço parte do Grupo Escoteiro 25 de Julho de MCR, e sei como é difícil parar em situações como essa pois também já as vivenciei. Claro que, nós Escoteiros, não passamos por fases tão difíceis como as suas, pois estamos sempre acompanhados de chefes, ou seja, se estamos se sentindo mal, vamos até eles, comunicando-os, e então eles fazem de tudo para nos ajudar. Mesmo sabendo que sempre há dificuldades, eu nunca desisti de ser um Escoteiro, pois, no final de cada acampamento ou jornada, nós podemos dizer com orgulho: “Eu já estive lá e isso será algo que levarei comigo mesmo. Foi incrível!” Parabéns Ike!

  32. Matheus Candeu disse:

    Olá, Sou aluno do colégio Sesi Famec em São José dos Pinhais- PR, em conjunto com minha equipe entramos mais a fundo nos problemas ambientais enfrentados em Santa Marta, e gostaríamos de saber quais problemas você percebeu na degradação do bioma da região , e quais pontos negativos lhe chamaram mais atenção nesta cidade ?
    Agradecemos desde já.

  33. Matheus Candeu disse:

    Olá, Sou aluno do colégio Sesi Famec em São José dos Pinhais- PR, em conjunto com minha equipe entramos mais a fundo nos problemas ambientais enfrentados em Santa Marta, e gostaríamos de saber quais problemas você percebeu na degradação do bioma da região , e quais pontos negativos lhe chamaram mais atenção nesta cidade ?
    Agradecemos desde já…

    • ikeweber disse:

      Matheus, a degradação ambiental que mais me chamou a atenção nesta região foi o acúmulo de lixo. Ao longo da costa norte do Caribe se vê todo o tipo de dejeto lançado no meio ambiente, acompanhando a rodovia que costeia o mar. Seria importante uma alfabetização ecológica, educar a comunidade para criar consciência. E investir em reciclagem de resíduos. Abço, Ike.

  34. Stéphany, Jordana, Erika, Daniela, Bianca disse:

    Have you thought about giving up up you trip?

  35. Luiz, Giovani, Nicolas e Gabriel disse:

    What were other bad moments in your trip? How do you post in the blog?

    Colégio Sesi Londrina-Paraná

    Equipe: Luiz Henrique, Giovani Vasconcellos, Gabriel Popoff e Nicolas Gentil

    • ikeweber disse:

      Dear team from Londrina,

      One other difficult moment was when I´ve had to cross the boarder between Peru and Equador.

      You can read in this blog: danger at the board, from December, 20.

      By.

  36. Jonathan da Silva disse:

    CORRECCÓN
    Ike Weber, lo bueno de este viaje es conocer nuestra América.
    Gracias por no desanimarse en los malos tiempos a pesar de haber pasado por muchas dificultades con la enfermedad (varicela) que ah adquirido durante el viaje, soy un estudiante de la Colegio SESI de Bandeirantes. Estoy estudiar esto en un taller que se llama ” De Mochila por las Américas”, que basa en su blog en sus aventuras… Gracias


Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *