A preparação (parte 2)

Publicado em: 20/11/ 12

PREPARAÇÃO 3 – A JORNADA

O roteiro é ponto específico. Menos por definir que dia chegar a qual lugar ou que rota utilizar. Mais para saber o que é necessário fazer ou pesquisar, antes de empreender a expedição. Afinal, aventura demanda tempo, adequadas condições climáticas, alguma logística e estrutura. E isso precisa ser planejado ou definido com alguma antecedência, do contrário não é possível realizar a viagem.

Fechei um pré-roteiro, determinando número de dias, ou semanas, em cada país, principais pontos de visitação e esportes radicais a praticar. Sei que dificilmente esta será a rota cumprida. A viagem não é engessada e novidades surgem em cada ponto do caminho.

Fundamental disso tudo é definir as melhores épocas para chegar a cada país. É um quebra-cabeça considerando que num longo trajeto, de sul ao norte, atravessando continentes e passando por pontos tão distintos geograficamente, as condições climáticas são muito variáveis.

Pelo período do ano em que inicio a viagem, a rota estabelecida leva em conta atingir o Alaska no início do verão, quando as estradas se abrem para a passagem dos viajantes. Toda a América Central será visitada em seu melhor momento: quente, mas seco, o “verano” latino. Os primeiros países, Peru e Equador, podem ter o trajeto um pouco prejudicado, visto que é o início da estação das chuvas.

Faz parte. E com as mudanças climáticas que atualmente enfrentamos, tudo pode mudar. Isso é típico em Curitiba, a cidade onde moro: calor insuportável no inverno, frente fria em pleno verão.

A preparação da jornada parece muito simples depois que está pronta e é apresentada, mas na verdade é um jogo de complexas variáveis. Chegar ao formato final, ou, ao menos a um pré-formato, requer muito tempo, exaustiva pesquisa, consulta a diferentes fontes, tomada de decisões, novas reflexões e mudanças nas decisões iniciais.

Se quiser fazer o mesmo, sem dúvida você vai passar muito tempo em frente ao computador, pesquisando, consultando, escrevendo, orçando, planejando, descobrindo. Foram noites, madrugadas adentro e todos os finais de semana e feriados dos últimos cinco meses.

Depois disso tudo, ok, podemos iniciar a viagem. Quem sabe fazendo uma primeira reserva, para ter um ponto certeiro no primeiro destino. Ah, é claro, como a viagem começa no Peru e o primeiro trecho será aéreo, é bom comprar a passagem com alguma antecedência. Principalmente quando se tenta voar por algum programa de milhagem.



Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *