Um domingo na Rota das Flores

Publicado em: 06/05/ 13

Rota flores 1
Rota flores 2
Rota flores 3b
Rota flores 3c
Rota flores 3d
Rota flores 3e
Rota flores 3f
Rota flores 3g
Rota flores 4
Rota flores 8
Rota flores 10
Rota flores 11
Rota flores 15
Rota flores 16
Rota flores 17
Rota flores 20
Rota flores 21
Rota flores 22

Relato do viajante

El Salvador é uma festa. De cores, tipos, raridades e sabores. Comida exótica não há apenas na China. Em Concepción de Ataco você pode comprar na rua ovos de iguana, rãs fritas ou porções de caracol.

O povoado, região oeste de El Salvador, está no trajeto apelidado de Rota das Flores, que reúne antigas fazendas de café, muito artesanato, feiras gastronômicas e, dependo da época do ano, inclusive flores. É área montanhosa, de vales verdejantes e clima serrano.

As paredes dos muros e das casas lembram a arte de San José, na Costa Rica. Só que trazem representações da vida cotidiana do povoado. Assim como faziam os índios, transferindo seu dia a dia para as tradições culturais.

Em Ataco há antiguidades como as cânforas de quase 100 anos ou a coleção de placas de automóveis americanos. O artesanato é produzido com tecelagem, madeira e até telhas de barro.

No outro extremo da Rota, Juayúa inventou as feiras de comida depois da crise do café, na década de 90. A vila, morta durante a semana, atrai turistas e viajantes aos finais de semana para apreciar carnes de gado, porco, coelho, pato ou camarões, peixes e mariscos.

A cobra, imensa, é alugada na praça para fotografias.

Agora a cidade reúne três diferentes tipos de mercado. Um local, com todo tipo de bugiganga, outro só de artesanatos e um especial, de gastronomia. O povoado não tem pressa. A mulher desce do ônibus em frente à casa da família, cumprimenta sobrinhos e parentes e sobe outra vez no veículo. O motorista espera, o ônibus segue seu caminho.

Como é praxe no país, a polícia é parte integrante da paisagem, armada com fuzis de longo alcance. As pistolas de brinquedo também são vendidas nas barraquinhas de artesanato.


5 Comentários

  1. emanueli tecco disse:

    Parabéns Ike Weber pela sua coragem , boa sorte.

  2. emanueli tecco disse:

    Quais são as maiores dificuldades que você encontra no caminho? emanueli tecco colégio SESI Guarapuava

    • ikeweber disse:

      Emanueli,

      São variadas, depende da região e do momento. Algumas vezes os trajetos são beeemmm longos e desgastantes. Outras vezes há riscos com a segurança, tenho que me precaver. Outras regiões são distantes e isoladas e nem sempre encontro comida quando chego.

      Peguei varicela e fui perseguido por cachorros agressivos na Colômbia. Desci em lugar errado e fiquei perdido e isolado na estrada numa noite no Equador…

      E assim vai… Mas tudo faz parte da aventura. Agora estou nas praias do México, em lugar tranquilo, seguro, desenvolvido e agradável.

      Depois sigo a jornada por regiões mais aventureiras novamente.

      Grande abço, Ike.

  3. Bárbara Garibotti disse:

    Ike ta demais a sua aventura , mas como é lidar com a saudade de casa? Da familia ? Parabéns, ta incrivel tudo ! Bárbara do Colégio Sesi de Guarapuava .


Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *